Qual a abrangência, o que se trata com psicanálise?

A psicanálise implica em ouvir o sujeito em suas questões, sejam elas dúvidas, anseios, sintomas e, principalmente, desejos. À partir dessa escuta é que se irá buscar uma compreensão do que significa e qual a função daquele sofrimento ou daquilo que está tocando aquela pessoa naquele momento da vida dela.

O cuidado em ouvir o outro implica em tratar como esse sujeito está para a própria vida em relação ao desejo ele. Isso envolve ouvir seu percurso de vida e deixar aparecer aquelas coisas “esquecidas” ou que por tantas vezes passam “despercebidas”, algo realizado através de pequenas intervenções, muitas vezes bastante pontuais. Podem ser uma palavra, uma repetição de um ato falho, um questionamento, uma pergunta pra trazer implicações na busca por soluções ou na elaboração de novas perguntas.

Engajar-se numa psicanálise ou numa psicoterapia não se trata de fazer um tratamento apenas porquê dizem que é importante fazer. É preciso que o próprio sujeito esteja tocado por algo em seu inconsciente e com o qual ele queira se haver. De forma muito simplificada, posso dizer que é preciso ter um desejo de ser analisado para que de fato funcione.

Pode parecer complexo, mas na prática é algo dinâmico e que pode tratar com bastante êxito, muitas doenças e sintomas, como por exemplo:

Depressão


Ansiedade e síndrome do pânico


Insônia


Traumas e relações com traumas recentes


Manias, compulsões, repetições e obsessões


Você não precisa de um diagnóstico para se tratar, aliás, em buscar um diagnóstico, pode estar perdendo tempo e adiando a hora de falar de si e se tratar. Há coisas, como problemas de relacionamento e dilemas pessoais, que não possuem (e ainda bem que não), no CID10.

Nenhum diagnóstico, mesmo em conjunto, dá conta de dizer quem você é.